Erro do Jaguar – Trino Tumuchy

“Na realidade não precisamos das comunicações para viver a nossa vida. Se um Jaguar cai no erro de precisar de consulta às entidades para resolver seus problemas, ele aboliu o que tem de mais extraordinário, que é a sua própria comunicação com seus Guias e Mentores, seus Cavaleiros.”

Mário Sassi – Trino Tumuchy
(4a. Aula do Curso Estrelas, 28.09.1982)

Missão do Jaguar – Trino Arakém

“Sejam bem vindos!
Meus irmãos, eu sou um Doutrinador como os senhores. Tive o privilégio, uma oportunidade ímpar de conviver com Tia Neiva durante treze anos intensivamente e, com seu imenso amor, seu imenso carinho, ela foi me transmitindo, ensinando o que realmente é o mundo do Médium deste Amanhecer.

Eu tenho esperança, e gostaria que que na próxima Consagração não se falasse TEMPLOS EXTERNOS, se falasse TEMPLOS DO AMANHECER. Porque meus irmãos, Tia sempre, ela me falou várias vezes, que quando ela partisse, essa Doutrina iria crescer como uma relva daninha, ela iria se infiltrar, se espalhar por esse Brasil todo.

O Brasil, é o berço do Evangelho, é a Terra Prometida para os espíritos que ainda estão a caminho da libertação. Esse Brasil, esse continente físico, ele já foi ligado à África. Se vocês pegarem o mapa Mundi, vocês vão ver que ele encaixa direitinho na África.

Há muitos mil anos atrás, nós já habitamos no Brasil, principalmente na área da Amazônia e, com o Trabalho de Xingu, essas energias que lá nós deixamos estão sendo transferidas para nós por esses queridos Jaguares que tiveram a coragem de assumir uma encarnação como índios.

Nós não estamos no Brasil por acaso, não foi uma coincidência. Toda essa Tribo, ela reencarnou, está reencarnando e irá reencarnar no Brasil. É aqui que nós vamos desenvolver a Grande Missão deste Planeta.

Nessa simplicidade, meus irmãos, nessa nossa luta do dia a dia, nessas dificuldades, reajustes, cobranças, desajustes, aos poucos vai despertando em nós, em nosso ser a consciência da Individualidade. Essa consciência nos leva aos Planos Etéricos aonde nós desenvolvemos os grandes Trabalhos. O grande Trabalho do Médium não é neste Plano Físico, é quando ele dorme, deixa o corpo, obedece a um comando. E nós vamos, meus irmãos, em cavernas, em pântanos, nos hospitais, nas colônias, nós vamos em busca desses irmãos que não tiveram o privilégio que nós temos de estar encarnados e sendo Evangelizados.

Quando falo em Evangelização, eu não falo em ler o Evangelho, o que é muito comum. Mas, a Evangelização é a prática do ensinamento desse Grande Caminheiro, Governador do nosso Planeta, nesta era, nosso amado e querido Mestre Jesus. Porque meus irmãos, não basta que nós conheçamos as Leis do Amanhecer, os ensinamentos do Amanhecer. É necessário que nós transformemos esses ensinamentos em energia, em força. É uma corrente de energia. Ela acende uma lâmpada; se ela tem maior intensidade, ela gira um motor pequeno; se ela tem uma maior voltagem, ela liga um motor maior. Vocês estão me entendendo? E essa voltagem, ela parte da nossa Individualidade, da nossa consciência.

É fácil fazer o que eu estou fazendo, falar. Agora meus irmãos, praticar é muito mais difícil. Ninguém aqui é juíz de ninguém. Esse é o ensinamento do Grande Mestre Jesus. Ele aceitava a todos, sem distinção de raça, de cultura, de conhecimento. É tanto que, ele escolheu para serem seus Apóstolos, os seus seguidores, homens rudes, homens que não conheciam a Lei daquela época. Vocês seriam capazes de me responder porque? Porque que Jesus não procurou, naqueles tempos, os sábios, os doutores da lei e foi buscar exatamente os seus seguidores, os homens mais rudes, que não conheciam, não tinham a sabedoria do conhecimento de um encarnado sobre as leis daquela época? Vocês imaginam porque? Porque meus irmãos, aqueles homens tinham a mente limpa, não estava impregnada com retalhos de ensinamentos; não estava impregnada com superstições; não estava impregnada com princípios dos sacerdotes viciados, corruptos e assim por diante. Eram mentes favoráveis para que pudessem ser emanadas e impregnadas por aquela energia daquele Espírito Soberano que veio trazer a Mensagem, veio abrir o caminho para que nós tivéssemos a oportunidade de podermos evoluir.

Meus irmãos, nós estamos sendo preparados há quatrocentos anos antes de Cristo. Somos uma tribo muito difícil, somos espíritos difíceis e, tivemos a oportunidade desta encarnação, de nos evoluir e ajudar a outros caminharem. Cada um, cada Individualidade, cada Médium tem sua parcela de responsabilidade nessa imensa nave que chama-se Amanhecer. Todos, todos nós temos. Basta que cada um procure no dia a dia ser o seu próprio juíz, e procurar melhorar.

Nós falamos muito em amor, falamos muito em humildade, falamos muito em caridade, é fácil, são palavras bonitas. Temos muitos chavões bonitos, até deixados pela nossa própria Mãe. Lindos chavões, palavras, uma expressão muito profunda, são fáceis de decorar, de falar. Mas, meus irmãos, nós precisamos é nos conhecer. Esse que é o grande segredo do indivíduo, conhecer a si próprio. Essas encarnações intermináveis que nós estamos fazendo aqui na terra, porque? O que que nos leva a voltar a encarnar? – Porque nós ainda não nos conhecemos. O dia que uma Individualidade conhece a si própria, ela não precisa reencarnar mais, ela está livre, livre. Porque um espírito evoluído é um espírito livre. Ele não precisa mais de Templos, ele não precisa de Rituais, ele não precisa de espaços, ele é livre meus irmãos. Ele tem o amor incondicional, ele ajuda, ele auxilia sem exigir nada, sem dividir, sem estabelecer princípios. Esse é o caminho, meus irmãos, que nós estamos trilhando.

A Doutrina do Amanhecer, ela se baseia num só princípio: na sabedoria de Pai Seta Branca. É o princípio do amor. Agora, meus irmãos, nós precisamos começar sendo tolerantes. É um treinamento. Depois, humildes, porque quem é humilde, ele não precisa ser tolerante, ele já é. Eu não falo nessa humildade de chorar, de fazer gestos, não. Nós precisamos ser humildes perante àqueles que chegam perto de nós. Porque se você teve oportunidade de ter um maior preparo, um maior conhecimento, você também tem condições de aceitar o indivíduo como ele é. Esse é o princípio da tolerância. E o amor? Quem ama não precisa ser tolerante, não precisa ser humilde. O amor é universal. O Sistema Crístico é baseado no amor, no amor incondicional, no amor desses queridos Mentores que nos assistem, que nos orientam, que nos mostram o caminho que nós temos. Então, meus irmãos, nós mostramos a humildade quando nós temos condições de nos abaixarmos a cabeça perante os ensinamentos, perante os princípios, as leis dessa Corrente. É o primeiro passo.

Todo esse princípio não foi criado por Tia Neiva, ele veio do Mundo Espiritual, de experiência de espíritos que já desencarnaram. Pai Seta Branca desencarnou há seiscentos anos, meus irmãos. Amanto desencarnou mais ou menos na mesma época que Pai Seta Branca, há seiscentos anos. Eles têm a humildade de chegar até nós. Pai Seta Branca vem para iniciar o Doutrinador e a Doutrinadora, Pai Seta Branca vem numa Bênção. Pai Seta Branca, meus irmãos, é um espírito que muitos Pretos Velhos ainda não o viram, não tiveram condições de chegar perto dele. E ele vem aqui, e nos diz o seguinte: Eu sou pequenino, eu caibo em vossos corações. E é uma grande lição, os grandes não conseguem penetrar no coração do homem.

Por isso, meus irmãos, vamos aproveitar essa nossa encarnação. Vamos fazer dela a escada para nossa libertação. Somos privilegiados, não precisamos como outras Religiões, outras Doutrinas – de pompas, ou ficar tocando tambores numa praça, ou ficar telefonando de casa em casa para participar de uma reunião. Nós somos tão privilegiados, que as pessoas nos procuram, e nós ainda as tratamos mal. É assim, ah, estou cansado, vou embora, vou fechar esse Retiro logo, esse camarada foi chegar logo agora. Não é assim que nós agimos? Eu estou falando, nós.

Por isso, meus irmãos, nós precisamos repensar a nossa vida mediúnica, e repensar também a nossa vida na terra. Vamos questionar um pouco, porque que nós estamos aqui, o que que realmente viemos fazer. O ser humano, principalmente nós deste Amanhecer gostamos de culpar. Começa assim: culpa o Adjunto, depois culpa o Trino, depois culpa o Preto Velho, depois culpa Pai Seta Branca. Graças a Deus que nós temos a quem jogar, culpar para aliviar as nossas irresponsabilidades. E jamais nós vemos Pai Seta Branca chegar aqui e dizer: você me culpou por isso ou por aquilo, você, ou você, ou você. Na realidade, meus irmãos, Mentores não castigam, Pai Seta Branca não castiga. Porque quem realmente ama, ou ele ama ou não ama. O castigo, meus irmãos, as dificuldades vêm dos nossos próprios atos. Nós mesmos, por irreverência, por vaidade, por prepotência, é que vamos buscar as nossas dificuldades.

Se os senhores se lembram, se os senhores leram as Mensagens de Pai Seta Branca, em uma delas ele diz o seguinte: Eu não vos exijo nada deste Sacerdócio, porém vos prometo tudo para que possam cumpri-lo. Essa é a caminhada da Individualidade dentro do seu livre arbítrio. Contudo, meus irmãos, à medida que aumenta a nossa consciência, a nossa visão, ela se alarga mais. O nosso livre arbítrio na mesma proporção, ele vai diminuindo, porque nós vamos adquirindo consciência do que nós estamos fazendo aqui na terra, o que realmente nós viemos fazer aqui e o que que precisamos fazer. Salve Deus! Não é, meus irmãos?

Assim, vamos nos reciclar. É necessário de tempos em tempos nos reciclarmos para não passarmos a ser uns robozinhos. Porque o nosso próprio trabalho é um trabalho pesado, é um trabalho difícil, nos exige muito, e nos leva, se não tivermos cuidado, a sermos robozinhos e cairmos nos padrões das demais Religiões. O Amanhecer não é uma Religião, o Amanhecer é uma Ciência dos Mundos Etéricos. Para que penetremos nessa Ciência, precisamos nos colocar em condições que nos pedem. Aí, cabe a cada Individualidade.

Reencarnamos, muitos no Angical cem anos atrás. Muitos. Nós temos Pai João de Enoc, Pai Zé Pedro e muitos Enocs, muitos Caboclos, muitos Cavaleiros de Oxosse, muitas Princesas, muitas Pretas Velhas, muitos Pretos Velhos que passaram pelas encarnações do Angical. Hoje são Espíritos de Hierarquia, mas, muitos ainda estão presos naqueles troncos, não conseguiram se libertar. Um deles é o que lhes fala.

Há uns tempos atrás, muitos anos atrás eu me queixei para Pai João, que a minha vida era difícil, muito difícil. Ele me disse assim: Te falta um braço? Eu disse, não. Te falta um pé? Não. Você tem o privilégio até de ter um carro, você não sente, não precisa caminhar. Você tem até um sapato, não sente o pedregulho na sola do pé, e você está assim não é por culpa minha não, porque quando eu falava com você, você virava as costas pra mim, hoje você me chama de Pai. Entenderam o recado?

Então, meus irmãos, é a Individualidade, e Pai João foi o Imperador Tibério no Império Romano. Era tão bonzinho, que enterrava o camarada em pé, só deixava a cabeça de fora e soltava as ratazanas. Então, vocês vejam bem – o caminho do espírito é aproveitar a sua oportunidade. Uma reencarnação é um privilégio muito grande, muito maior do que vocês possam imaginar, e às vezes nós não aproveitamos, nós desperdiçamos e mais tarde nós choramos lágrimas de sangue.

Não quero lhes preocupar, não quero deixá-los preocupados, mas, eu tenho falado com muitos Jaguares que estão do outro lado. Uns estão bem, outros mais ou menos, outros estão com muitas dificuldades, tanto que um chegou e me disse: Eu daria tudo para ter um minuto na terra. Eh, meus irmãos, e eram Sétimos Raios classificados, Rama 2000.

Então, tinha uma senhora, Mãe Preta. Todo mundo achava que ela era maluca. Ela tinha muita afinidade comigo. Um dia, no Angical uma entidade me chamou. Eu cheguei lá e ela disse: sou Mãe Preta. Eu disse: Salve Deus! Estão entendendo? Eu não estava ligando o nome à pessoa. Você não lembra? Sou aquela Mãe Preta, eu sempre falava com você, a gente se encontrava no Angical, no Canal Vermelho, que a gente trabalhava. Ó Mãe Preta, a sua Bênção e ela disse: Deus te abençoa meu filho. Eu estou muito bem e feliz.

Por isso, meus irmãos, não é a aparência, não é a cultura humana, não é, meus irmãos. Nós não vamos ser cobrados por Religiões. Ah não, eu sou Católico, eu sou Protestante, eu sou Espírita. Ninguém vai nos cobrar por isso. Nós vamos ser cobrados pela nossa consciência, pelos nossos atos, pelo que nós fizemos de bom, ou não. É só isso, meus irmãos, pelas nossas obras. É isso que vai pesar, e o juíz não será ninguém, é a nossa própria consciência, meus irmãos. Porque no mundo da razão não há meio termo, é ser ou não ser, meus irmãos.

Trino Arakém

Centúria Lunar – Tia Neiva

Querido filho Jaguar, Salve Deus!

Meu filho quis a vontade de Deus que estivéssemos reunidos neste limiar do Terceiro Milênio para o equilíbrio e o amor, na Luz da Doutrina Crística, a todos os homens e aos espíritos carentes de esclarecimento.

Estamos preparados, cheios de forças e energias para a execução perfeita desta tarefa doutrinária para o ajustamento das mentes e a perfeita harmonia do nosso Universo.

Vamos manter o nosso padrão vibracional elevado e equilibrado a nossa mente, para podermos irradiar a tranqüilidade, a paz e, com o poder do nosso espírito possamos curar e iluminar a todos. Cultive em seu coração o amor, a alegria e o entusiasmo para que em todas as horas, estejas pronto a emanar e a servir na Lei de Auxílio.

Pai Seta Branca diz sempre que: – A humildade e a perseverança de vossos espíritos, conduziram-me ao mais alto pedestal de força básica que realizou esta corporação. – Mais uma vez, você com seu esforço, amor e humildade encheu de mais alegria o coração de nosso Pai tão querido. Meu filho, esta Centúria Lunar é para você, mais um degrau em sua marcha evolutiva e, mais responsabilidade em sua grande missão de Mestre nesta Doutrina do Amanhecer. A Centúria significa para o Mestre Apará, a Chave de um Portal de desintegração aos mundos ainda desconhecidos nesta encarnação a vocês. Com esta Chave você vai adquirir mil conhecimentos, como eu recebi há vinte anos atrás. Busque sempre em suas origens e heranças, as energias necessárias para cumprir com perfeição sua tarefa cármica e, possa sentir-se um homem plenamente realizado, possuindo sempre a paz interior que é indispensável para que seu Sol interior possa irradiar e iluminar sua luz, por todo este Universo. Conheço bem os seus caminhos e peço por vocês em meus trabalhos.

Com o amor da Mãe em Cristo.

Tia Neiva 9.04.78

Impedimento – Adjunto ApurÊ

Quando existe algum impedimento na missão de um jaguar a espiritualidade faz uma troca de compromisso. Se um apara tem problemas de saúde que afeta seu físico ele vai cumprir sua missão de outra forma, talvez até como doutrinador. Para o doutrinador já é diferente, somente vai regular sua missão tomando cuidados consigo mesmo.
Existem muitas formas de cumprir com o sacerdócio, basta descobrir a sua porta.
Uma coisa que aprendi com Pai João: Nunca sublimar a vida na terra. Esta mensagem tem como diretriz a vaidade exacerbada que todos carregam dentro do coração. O tal, eu sou. Sabemos que cada homem encarnado neste planeta veio pagar seus débitos. Ninguém veio salvar o planeta, mas fazer parte do ciclo atual. Então, não existem santos, existem missionários. É fácil palpitar, mas como é difícil fazer acontecer.
Se tivermos as rédeas dos fatos teremos então o compromisso de mudar nossos caminhos.
Dividir o pão.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
24.02.2020

Palhinha da Benção – Kazagrande

Procurando uma caneta, em meio a bagunça organizada da mesa do seu Mário (Trino Tumuchy), Tia Neiva encontrou uma “palhinha” já seca e estorricada. Olhou para ela e não se contendo exclamou:

“Vejam meus filhos! Ainda tem luz aqui!”

A palhinha da Bênção de Pai Seta Branca é a representação material de uma célula de luz do Oráculo de Simiromba. Nos é presenteada, ao passarmos pelo ritual no primeiro domingo de cada mês no Templo Mãe.

Seu uso é pessoal. Com todo respeito, devemos guardar junto a algum objeto que levemos com freqüência (carteira, bolsa…) e tê-la como um símbolo da Bênção que recebemos, que nos protege e nos cura.

Quando eventualmente recebemos mais de uma palhinha, podemos presentear a um ente querido que compreenda a sua simbologia, ou ainda colocar em nosso Aledá.

A palhinha pode ser substituída a cada nova Bênção que passamos, afinal, não dá para sair colocando todas na carteira. Particularmente (não tomem isso como alguma Lei), eu não gosto de jogar fora as palhinhas de bênçãos passadas. Meu profundo respeito por qualquer objeto da Doutrina me impede de fazê-lo. Tenho uma caixinha que guardo junto com os cadernos de prisioneiro, onde as coloco depois de serem substituídas. Lembro da frase de Tia: “Vejam meus filhos! Ainda tem luz aqui!”

Kazagrande

Obs.: Não presenciei a frase dita por Tia Neiva, me foi contada quando disse a Tia Lúcia (sua filha Carmem Lúcia) que eu tinha dó de jogar a palhinha fora. Ela me contou a frase e disse que era eu quem deveria decidir o quê fazer. Salve Deus!

Obs.: As palhinhas da Bênção do Ministro devem ser tratadas com igual respeito e cuidado.

Trecho da Mensagem do Ministro Ypuena – Março de 1996

Lembrem-se de nossa origem planetária: Somos filhos do Sol e da Lua. Somos a espada do amor, a luz que cura e revela, numa jornada individualizada que remonta a mais de 4.000 anos.

Lembrem-se filhos, cada um na sua função para uma grande guerra em que todos somos soldados, independente dos postos conquistados na Terra ou nos Céus.

Estamos nos preparando para a batalha final, onde soldados e generais, juntos, terão que dispor de todos os seus conhecimentos em benefício dos menos esclarecidos, contra os cavaleiros da fome, da doença e da miséria.

Quando estes dias chegarem, não importará o posto e sim, conhecimento. Você, meu jovem filho, que entra nesta doutrina hj é trás consigo todo o desenrolar deste povo, terá as mesmas responsabilidades dos que aqui estão há mais tempo.

Nesta batalha, filhos, nenhum de nós poderão ser pedidos. Portanto, preparem-se para os céus e se esqueçam das pequenas coisas da Terra.

Não corram atrás de títulos. A nobreza é algo que seus espíritos já trazem dentro de seus corações.

Não queiram um peito cheio de medalhas de plástico ou de lata que nada representarão quando estiverem frente a frente com as forças que ainda não conhecem.

Deixo vocês em liberdade, na certeza de que vim pra esclarecer no Espírito da Verdade, na luz divina de nosso Pai.

Que Jesus nos conceda novas oportunidades. Abraço a todos, filhos queridos do meu coração. Salve Deus!

Ministro Ypuena – Trecho da Mensagem de Março de 1996, Registrada na Primeira Edição do Livro de Mensagens do Ministro.

Massacre – Adjunto Apurê

Eu nunca vi espíritos tão revoltados.
Com o trabalho de indução cabalística os espíritos atingidos demoraram um pouco para reagir. A reação deles nesta noite foi porque quebrou a ligação temporal deles com a nossa missão. A pressão estava tão grande em cima que estávamos sendo massacrados pelas vibrações.
Foi, então, que vieram fazer o que não conseguiram. Vieram tomar satisfação de mim. Eu os vi como lobos famintos em algazarra. Fui cercado, fiquei ali no meio deles que em círculo de mãos apertadas faziam seu ritual.
Fechei minha guarda, minhas espadas, e vibrei contra a maldição. Este povo não quer nossa missão aqui nesta cidade, porque estamos tirando a liberdade do mal.
Eu olhei no rosto de cada um e vou pedir ao Pai Seta Branca que tome conta. Impossível uma doutrina de luz ser enegrecida por seres que se perderam nas suas convicções.
Eles vinham e só não cuspiam em mim porque eram espíritos sofredores encarnados. O resto nem preciso contar.
Como foi difícil este reencontro sem hora marcada. Fui pego no contra-pé, mas enfrentei esta provação. Sou jaguar, sou filho de Seta Branca, sou doutrinador e nada temerei.
Na realidade a gente fica com um medo danado, porquê temos família, temos nossos motivos de precaução. Eu fico calado vendo as manifestações dos encouraçados. Por isso o silêncio é uma arma poderosa, ninguém precisa conhecer o que acontece no seu mundo. Quando pensaram te conhecer você sai pela tangente.
Esperteza de jaguar. Saber onde e como sair dos enroscos. Sim, pai João de Aruanda me avisou para tomar cuidado com o que estava vindo. A maldade humana é bem pior que as dos espíritos. Eles se endividam e depois saem propagando vitória. Lá na frente verão os erros, mas já é tarde para voltar.
Vou alimentar meu espírito para energizar meu comando no astral. Sem energia travamos nossa missão.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
17.02.2020

Caminhar Sozinha – Tia Neiva

“Eu sei, a caminhada de vocês é longa, ainda terão que caminhar graças a Deus neste mundo talvez o tanto que eu já caminhei. Então é um sinal evidente que vocês terão, não sabemos quando, de caminhar sozinhos também, sem eu. Então, a minha preocupação é que vocês saibam caminhar como eu caminhei sozinha e estou sozinha até agora. Pela mediunidade, pela força de minha mediunidade eu sou obrigada, na hora da individualidade, estar mais só do que nunca. Salve Deus! Então eu quero que vocês se preocupem com isso! Não é se preocupar de ter medo, de ficar só, mas a preocupação feliz de continuar essa maravilha que é essa vida iniciática. Olha meus filhos, é muito sério o compromisso que nós fizemos e que temos de chegar. Me preocupa, se hoje eu estou dizendo isso, que nunca disse, é porque tive trabalhos com mestres que partiram daqui e não sabem fazer nada e ficam vibrando e chamando por mim como se fosse eu a única mãe que ele encontrasse nesse universo, que me deu medo.

Meus filhos, nós temos mil pessoas que nos amam. Nós temos mil carinhos, se soubermos viver, se manter esta linha, esta Corrente, este poder iniciático. Vocês vão encontrar mil pessoas que vão orientando e que vocês também irão orientar. Então, foi a minha preocupação. Foi a minha preocupação e assim parece que, os meus dias, todo esse dia de hoje, foi cheio de, de descida, de subida, de sustos, de conflitos até a hora que estou aqui, talvez, para ter coragem de dizer a vocês que vocês muito breve vão ter que andar sozinhos! Pelas coisas, pelos caminhos que estão traçados da minha vida, aqui nesse plano, nesse plano nosso, eu sinto, eu sinto e vocês também devem sentir que terá sim, e que talvez não esteja muito longe. Então eu quero que vocês se preocupem com vocês mesmos. Cada um se preocupando consigo mesmo. Estar em comunhão com as coisas de Deus, sentir que Deus vibra dentro de você e que o mundo precisa de vocês, o mundo precisa de nós. Nós temos muito que fazer.”
Tia Neiva

Turigano 02 – Adjunto Numanto

A abertura deste ritual é inexoravelmente condicionada à presença da CORRENTE MESTRA no Templo do Amanhecer, pois o DOSSEL LUMINOSO constituído pelo entrelaçamento das forças físicas do período Espartano com as forças espirituais da Era de Pytia em Delfos, ambos na Grécia Antiga. Portanto ainda que se tenham as construções físicas do Templo do Amanhecer e da Cabala do Turigano na mais perfeita ordem, faz-se imperioso a força motriz de nossa congregação que denomina-se CORPO MEDIÚNICO.

Este CORPO MEDIÚNICO é o responsável por conhecer as Leis, e executá-las em conformidade com os ordenamentos superiores que balizaram a confecção do LIVRO DE LEIS E CHAVES RITUALÍSTICAS, a fim de que haja condições de merecer, receber e sustentar a presença desta TRANÇA LUMINOSA conhecida como CORRENTE MESTRA, constituída principalmente pelo entrelaçamento das forças magnéticas do Astral Superior, emitidas em nosso favor por MAYANTI E TAPIR.

O funcionamento por sua vez da CABALA DO TURIGANO pode, MAS NÃO DEVERIA faltar manutenção TODOS OS DOMINGOS, pois desta realização muito se salvaguarda para as sua próprias funções de ESTUFA, ALBERGUE e CASSANDRA (CHALANA), como registrado pela própria Clarividente em 01.12.80. Estamos sendo treinados, diuturnamente observados e classificados pela mentoria que nos assiste, pois ainda não chegou o momento preconizado por Tia dos fenômenos a olho nú, das luzes se deslocando em formas de bolas coloridas e das cápsulas que farão um vasto recolhimento entre o físico e o etéreo da Terra.

Conhece a ti mesmo. Nada em excesso.
(Inscrições no Templo de Apolo em Delfos)

Segue abaixo na íntegra a Carta de 21 de Outubro de 1984 que nos ensina sobre a CABALA DO TURIGANO sob os olhos da Clarividente Neiva, nossa eterna Tia Neiva em Cristo Jesus!

“Salve Deus! Meu Filho Jaguar! Nos diz Amanto que as antigas tribos tinham suas superstições ou crenças. Antes de partirem para uma batalha ficavam em volta da chama da vida, invocando os Cavaleiros das Nuvens, mandados pelo grande Deus Apolo, que vivia no Templo de Delfos, e, durante o tempo em que permaneciam na guerra, os reis mandavam as mulheres levarem suas oferendas ao Deus Apolo. Somente Esparta ficava desamparada, estava excluída desta proteção. Então, a visita de Pytia a Leônidas, não era somente o amor e a caridade pela rainha exilada, e sim, todo este acervo do fenômeno dos tambores, que fez toda a Esparta respeitar o Deus Apolo; tanto que Leônidas entregou todo o seu povo nas mãos de Pytia para proteger esta dinastia. Deus porém mostrou a Leônidas que a sua vontade tão somente, não impedia os desígnios daquela rainha. Enquanto Leônidas partia com as suas tropas protetoras, já acontecia o grande desastre, a força contrária já estava escondida e não se sabe o que foi feito da rainha exilada. Leônidas aflito foi se explicar à sacerdotisa, temendo ser recriminado por ela, e ficou estarrecido com aquela mulher, ela era realmente algo distante do seu alcance e da sua tirania, e espiritualizou toda a sua tribo; e os soldados voltaram todos. Eis porque, seu Pai Seta Branca afirmou entre nós o Turigano. Cada vez que aqui um mestre adjunto representante do Reino Central abre o seu plexo no Turigano e busca o caminho verde da regência do Cavaleiro Especial, haverá o fenômeno físico do ouro e da prata. Eis porque o Pai Seta Branca deseja que todos os domingos, seja realizado este trabalho, para que os seus filhos partam, tendo toda a proteção deste Amanhecer. É realmente… Só quem poderá fazer este trabalho é o Cavaleiro Especial consagrado neste Amanhecer, que tem os mistérios de Pytia, que viveu as heranças transcendentais do Delta do Nilo.”

Deus Apolo = Pai Seta Branca
Leônidas de Esparta = Nestor Sabatovicz
Pytia de Delfos = Tia Neiva

O que significa a palavra Turigano? Assim como Tia afirmava… Não sei dizer! Recebo do mundo espiritual e faço “escrevo”, nem sempre explicam tudo.

Mestre Numanto

Curvatura do Espaço – Adjunto Apurê

A ligação entre dois pontos não é uma reta, mas uma curvatura que pode ser mínima ou extensa.
Eu estive no espaço observando a distorção que ocorre na planilha universal. Como disse Albert Einstein que há uma curvatura e eu provei para mim que ela existe. Esta curvatura faz parte do próprio universo, onde as galáxias são espirais imensas. No universo não existe nada quadrado, tudo é redondo ou circular.
Vamos fazer uma medição na terra. Se pegarmos um circulo e marcarmos dois pontos equidistante e traçarmos uma reta veremos que cortou o círculo. Então para chegar ao outro ponto teremos que riscar acompanhando a curva do círculo. Não vai ser uma reta, será uma meia curva.
Está constatação eu observei na ilusão do cristalino, ao ver determinado planeta ele não estava na direção exata, ele estava no círculo e não na reta.
Os observatórios medem em linha reta e não em camadas. Exemplo, se um planeta estiver a muitos anos luz da terra e ao tentar descobrir seu ponto original temos dois fatores a observar, a curvatura do universo e a curvatura da terra.
Deslocado do físico eu olhei para o ponto de partida e vi a curvatura que fez até onde eu estava. E, olha, eu estava fora do campo vibracional, mas meu espírito sofreu um deslocamento. Não meu eu, mas o que me liga entre dois pontos.
Eu diria que são ondas gavitacionais que se sustentam dentro da arquitetura. O universo paralelo espiritual também está em uma curvatura. Somos todos uma espiral imensa que roda em si mesmo.
A grande nave que se desloca de 70 em 70 anos forma também uma rota elíptica, esta forma elíptica também tem sua curvatura. Não sei se entenderam o que digo, mas na ciência espacial temos espaço no tempo.
Eu provei para mim o que Einstein tentou provar para a ciência. Grandes revoluções trarão maiores esclarecimentos para nossa visão. A visão de planetas fora da linha reta.
E, olha, eu não sou cientista, sou um viajante desconhecido da convivência terrena. Ninguém conhece o manejo de minha espada.
Eu vou a lugares que ninguém foi ou vai trazendo recordação da exata condição do espírito. Tia Neiva foi e esclareceu, mas certas coisas ficaram sem respostas. Eu procuro libertar as amarras da terra para que o espírito livre faça seu trabalho, a sua descoberta.
Talvez os homens desta tribo ainda devam ter mais mil anos para aceitar a evolução. Todos se acomodaram nas maravilhas das descobertas que Tia Neiva trouxe. Ninguém foi atrás da chave, todos estão morrendo na escuridão do pensamento. Ninguém aceita o descortinar das conquistas. Tia Neiva abriu o leque para que todos se abanem e não para esquece-lo no aleda.
Eu, por mais que tentem me apagar contrariando o interesse científico espiritual, não vou morrer de tédio. Não vou ficar sem me conhecer. Podem julgar, mas um dia serão julgados.
Assim é a ciência da liberdade que vai atrás da verdade.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
15.02.2020

Seja bem-vindo! Divulgação do Vale do Amanhecer e do seu Acervo Doutrinário. A resplandecer desde Dezembro de 2018!

Create your website at WordPress.com
Iniciar